quinta-feira, 27 de junho de 2013

Um casal de Chefs brasileiros e seu restaurante 'secreto' em Paris

A repórter Flávia Mantovani, do portal G1 em São Paulo, publicou hoje (27) naquele portal, uma excelente reportagem sobre Chefs brasileiros fazem sucesso com um restaurante "secreto" em Paris, que reproduzo e recomendo a leitura, segue a peça:


Chefs brasileiros fazem sucesso com
restaurante 'secreto' em Paris


Casal faz jantares personalizados em seu apartamento na capital francesa.

Turistas do Brasil são os clientes mais comuns.




Os chefs Celinha e Gustavo Mattos em seu apartamento em Paris
(Foto: Divulgação/Chez Nous Chez Vous)

Em meio às muitas opções gastronômicas de Paris, um casal de chefs oferece aos turistas brasileiros a possibilidade de provar a comida local em um ambiente mais familiar – e com direito a entender tudo o que é servido mesmo sem falar francês.

Naturais do interior de São Paulo, Celinha Mattos e Gustavo Mattos montaram um restaurante dentro do apartamento onde moram, com quintal e vista para a Torre Eiffel, no 15ème Arrondissement.


A casa dos chefs, onde eles servem o jantar
(Foto: Divulgação/Chez Nous Chez Vous)
Os jantares são feitos sob medida, mediante reserva e para um número máximo de dez pessoas.

Os clientes assistem a uma parte da preparação dos pratos, são servidos pelos donos da casa e podem levar o próprio vinho (pagando uma taxa de rolha) ou provar os que o casal escolhe para cada refeição, de acordo com o valor que a pessoa quer gastar.

A mistura de culinária europeia com hospitalidade brasileira deu certo: o “Chez Nous Chez Vous” vai completar cinco anos de funcionamento e é considerado um dos melhores “restaurantes secretos” de Paris – rótulo dado pelo jornal “The New York Times” em uma reportagem sobre o tema.

Na clientela, que eles calculam ser 85% formada por brasileiros, há artistas, políticos, diplomatas, apresentadores de TV, estilistas e escritores conhecidos.


Sem placa na porta

Celinha e Gustavo se mudaram para Paris há oito anos, quando decidiram abandonar seus empregos na capital paulista (ela era tradutora e ele, publicitário) e transformar o hobby de cozinhar em profissão.

Eles estudaram na conhecida escola de gastronomia “Le Cordon Bleu” e trabalharam alguns meses com chefs estrelados. Querendo fugir ao dia a dia corrido das cozinhas de restaurantes comuns, decidiram receber em sua casa os clientes – que eles chamam de convidados.

O primeiro cliente foi o cunhado do arquiteto que desenhou a cozinha da casa. A partir daí, foi chegando mais gente que sabia do lugar pela propaganda boca a boca.

“A gente não queria montar um restaurante tradicional. Sabemos o estresse que é. Acreditamos que um bom chef tem que viajar, conhecer outras comidas, outras pessoas. Queríamos ter mais liberdade”, diz Celinha.

O local não tem placa na porta nem garçons. A refeição é servida na sala de jantar, e os clientes podem usar o computador, ajudar a escolher as músicas ou ligar para o Brasil de um telefone que fica disponível.

“Os convidados nunca passam diretamente à mesa. Primeiro eles ficam no sofá, bebendo e comendo os aperitivos, conversando. A ideia é que a pessoa se sinta na casa dela. É como um chef a domicílio, só que é o nosso domicílio”, diz Gustavo.



Sopa fria de ervilha perfumada com menta e  camarões
flambados, um dos pratos servidos no Chez Nous Chez
Vous (Foto: Divulgação/Chez Nous Chez Vous)

Sete pratos

A opção de menu degustação, com sete pratos, que custa 150 euros (cerca de R$ 440) por pessoa. Já a refeição tradicional, com entrada, prato principal e sobremesa, sai por 120 euros (cerca de R$ 300).

Bebidas alcoólicas são cobradas à parte. Entre as opções, há três tipos de champanhe feitos por um produtor especialmente para o “Chez Nous Chez Vous”.

O cardápio é surpresa para os convidados. Para decidirem os pratos, os chefs se baseiam nas preferências deles, que preenchem um questionário antes de ir ao local.

O método de preparação dos pratos é francês, mas são usados ingredientes de vários lugares do mundo. Rillette de arraia, coxas de pato confit e até uma moqueca revisitada, feita com coelho e lagostim, estão entre as opções já servidas.

Alguns dos clientes acabaram se tornando amigos dos chefs. “Como não ficamos só dentro da cozinha, há uma interação maior com o convidado”, diz Gustavo.

Quando há pessoas de grupos diferentes, elas chegam envergonhadas, mas Celinha e Gustavo garantem que o papo engata fácil. “As pessoas que vêm são muito cultas, acostumadas a viajar muito, têm cabeça aberta. O gelo é quebrado logo depois da primeira taça de champanhe”, diz ela.

3 comentários:

  1. Caro Pedro,

    Fiquei muito interessada em conhecer o Chez Nous Chez Vous na minha proxima ida a Paris. Como posso entrar em contato com eles?

    Obrigada,
    Silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo e-mail: contato@cheznouschezvous.com.br
      Aproveite.

      Excluir

Normas para publicação: acusações insultuosas, palavrões e comentários em desacordo com o tema da notícia ou do post serão despublicados e seus autores poderão ter o envio de comentários bloqueado.